Perguntas Frequentes

Hipertensão é a mesma coisa que pressão alta? Acima de qual medida podemos dizer que estamos com pressão alta?

R: Sim, hipertensão e pressão alta são nomes diferentes para o mesmo problema. A pressão é considerada anormal quando igual ou acima de 14 por 9, sendo que em algumas condições específicas este valor terá que ser menor.

Pressão alta tem cura?

R: Não. Infelizmente, a pressão alta não tem cura, mas tem tratamento. Com ele é possível controlar a pressão arterial de forma a não prejudicar o organismo, conjugando na maioria das vezes ações promotoras de saúde (atividade física e dieta adequada) + medicamentos.

Quem toma remédio para pressão alta fica sexualmente impotente?

R: Não. Os remédios para o tratamento da pressão alta não causam impotência, mas a própria pressão alta, quando não tratada corretamente, pode provocar impotência.

Sou hipertenso. Só preciso ir ao médico quando estou me sentindo mal?

R: Não. Os hipertensos devem ir a consultas periódicas, mesmo que estejam se sentindo bem. A pressão alta na imensa maioria dos pacientes é uma doença silenciosa, sem sintomas.

Não sinto nada. Mesmo assim, posso sofrer de pressão alta?

R: Sim. Este é um dos maiores enganos cometidos. A maioria das pessoas hipertensas não sente nada. A hipertensão não dá sinais e nem sintomas de que já está se instalando no organismo. Por isso é conhecida como a Inimiga Silenciosa.

Tenho que parar de tomar o remédio quando vou beber?

R: Não. É contraindicada a interrupção da medicação por causa do consumo moderado de bebidas alcoólicas. Desde que a quantidade de álcool seja moderada, você pode tomar os remédios como de costume. O álcool não interage com os medicamentos anti-hipertensivos. Você Não vai se sentir pior se beber e tomar o medicamento.

Tontura, vista embaçada, palpitação e dor de cabeça são sintomas que aparecem quando temos pressão alta?

R: Em termos. Esses sintomas aparecem em hipertensos, mas também aparecem em pessoas não hipertensas e podem ser causados por diversas doenças. Por isso, são sinais muito vagos para avaliar se a pressão está alta ou não. Ao sentir esses sintomas, procure seu médico.

O que sentimos quando a pressão sobe rapidamente?

R: Tontura, palpitação, dor no peito, zumbido nos ouvidos e visão de pontinhos brilhantes são sensações comumente relatadas pelos hipertensos quando a pressão sobe rapidamente. Mas nem sempre esses sintomas aparecem. Portanto, fique atento a esses fatos, mesmo que ocorram de forma isolada. E lembre-se de uma coisa muito importante: algumas pessoas não sentem nada disso.

Crianças podem ter pressão alta?

R: Sim. É menos frequente ocorrer hipertensão em crianças, mas pode acontecer. O número de crianças hipertensas, inclusive, é significativo e esta aumentando em função da obesidade e da inatividade física de crianças que ficam o tempo todo vendo televisão, jogando videogame ou utilizando o computador.

É natural que pessoas idosas tenham pressão alta?

R: Não. É um erro pensar que a pressão aumenta conforme a idade. O idoso deve ter a pressão igual à de um adulto jovem.

Qual a chance de filhos de hipertensos sofrerem de pressão alta?

R: Quando o pai ou a mãe são hipertensos, a chance de o filho ter hipertensão é de 25%. Quando ambos são hipertensos, há 60% de chance do filho também ter a doença.

Mudanças de temperatura influenciam a pressão?

R: Sim. Em épocas mais quentes a pressão cai devido a uma vasodilatação que acontece por causa do calor. No frio acontece o contrário: os vasos ficam mais apertados por causa do frio e a pressão tende a aumentar.

O remédio vicia?

R: Não. Os medicamentos usados para o tratamento da pressão alta não causam nenhuma forma de dependência física ou psicológica. Caso deixem de fazer o efeito esperado, podem ser trocados e isso não acarreta problemas ao organismo.

Sendo hipertenso, posso continuar dirigindo?

R: Sim. Desde que a pressão esteja sendo tratada e que você já tenha observado qual o efeito da medicação sobre seu corpo, para não correr o risco de sentir tontura, por exemplo.

O café faz a pressão subir?

R: Não. Não existe nada que comprove cientificamente que o café atue aumentando a pressão arterial.

O tratamento ajuda quem nunca tratou a pressão alta?

R: Sim. Mesmo quem nunca tratou a pressão alta pode se beneficiar do tratamento. O ideal é que o tratamento comece assim que for diagnosticado o problema, mas nunca é tarde para começar.

Todos os hipertensos têm o mesmo tratamento?

R: Não. O tipo de tratamento e a medicação variam de acordo com a pessoa, dependendo da existência ou não de complicações causadas pelo avanço da doença. É quase como se fosse uma roupa feita sob encomenda.

É verdade que o remédio tem que ser tomado para sempre?

R: Sim. O remédio de hipertensão deve ser tomado para sempre porque a doença não tem cura.

Todos os que tomam a medicação sofrem efeitos colaterais?

R: Não. Muitas pessoas não sentem nenhum efeito colateral, enquanto outras sentem. Por isso, é melhor não fazer comparações entre você e outros hipertensos. Os medicamentos mais modernos são melhor tolerados, com menos efeitos colaterais.

Há algum problema em tomar tranquilizantes ou sedativos com o remédio de pressão?

R: Sim. Pode ser perigoso porque esse tipo de remédio pode aumentar o efeito de diminuição da pressão exercido pela medicação. O médico que cuida da sua pressão tem que estar ciente de que você esta usando medicamentos deste tipo, para melhor adequar a dose do anti-hipertensivo.

Meu nariz sangra às vezes e me disseram que isto pode ser pressão alta. É verdade?

R: Não. Nesta situação, a hemorragia é geralmente determinada por problemas locais do nariz ou por doenças do sangue como a leucemia.

Por que falam 13/8. O que significam estes números?

R: A pressão arterial tem dois componentes, a pressão sistólica (no caso 13) e a pressão diastólica (no caso 8) que correspondem às variações da pressão arterial durante os batimentos cardíacos (contração e relaxamento do coração). Quando a pressão sistólica encontra-se acima de 14 e/ou a pressão diastólica acima de 9 em pelo menos duas ocasiões diferentes, diz-se que a pessoa é portadora da doença Hipertensão Arterial (“Pressão Alta”). As pessoas que tem Hipertensão Arterial e não são tratadas adequadamente têm um maior risco de vir a sofrer de uma doença cardiovascular no futuro, como infarto no coração, “derrame” cerebral e insuficiência renal, independentemente se é a pressão sistólica, diastólica ou ambas que estejam elevadas. Mas não se preocupe exageradamente, com o tratamento esse risco praticamente desaparece.

Quais os benefícios dos exercícios físicos para o controle da hipertensão?

R: O efeito do exercício físico sobre a queda da pressão arterial é independente da perda de peso que ele pode proporcionar. Além disso, sabe-se que a atividade física não diminui o risco cardiovascular somente através da queda na pressão, melhora também o nível de colesterol, e o perfil glicêmico (diminui o risco de que a pessoa se torne diabética). Em pacientes hipertensos que associam exercício ao uso de medicação anti-hipertensiva, o controle da pressão é mais fácil, pode inclusive diminuir a quantidade de medicação necessária para o controle. Em estudo americano realizado com pacientes negros, a associação entre as duas formas de tratamento, e não o uso de tratamento medicamentoso isoladamente, trouxe diminuição da espessura das paredes cardíacas – o aumento da espessura das paredes é um dos efeitos deletérios da hipertensão sobre o coração. Vale lembrar ainda que a atividade física que traz benefícios não é necessariamente aquela realizada em academia ou de modo formal. Por exemplo estivadores, trabalhadores na construção civil, ou carteiros fazem atividade física durante seu trabalho diário, e com isso têm risco cardiovascular reduzido em relação à população em geral. De modo análogo, a atividade física pode ser incorporada ao cotidiano de cada um, sem que seja necessário se engajar num programa formal: pode-se ir andando para o trabalho, descer do ônibus um ponto antes, estacionar o carro a um quarteirão de distância do destino e usar escadas ao invés de elevador. Existem também hobbies que envolvem atividade física, por exemplo, danças de salão ou marcenaria.

A musculação pode ser praticada por pessoas hipertensas?

R: Existem dois tipos de exercício, o aeróbico ou dinâmico, como andar, correr ou nadar, que desenvolve principalmente a resistência e o isométrico ou estático, por exemplo, levantamento de peso, cujo objetivo é desenvolver força.
Até recentemente, somente o exercício dinâmico era recomendado para hipertensos. A contra-indicação ao treino de força tem por base o fato de que neste tipo de exercício ocorre uma contração súbita e sustentada de um grupamento muscular contra resistência levando momentaneamente a um grande aumento das pressões sistólica e diastólica. Isto faz com que os halterofilistas tenham um aumento não somente da musculatura dos braços e pernas, mas também do musculatura cardíaca e das artérias.
Trabalho publicado no ano 2000 analisou 11 publicações sobre exercício estático para hipertensos mostrou que este tipo de exercício provoca uma pequena redução na pressão arterial, sem que no entanto, proporcione perda de peso.
A sociedade americana de cardiologia publicou, no início de 2000, artigo incentivando os exercícios isométricos, desde que combinados com os do tipo aeróbico. Os exercícios de musculação podem ser feitos três vezes por semana durante trinta minutos. Esta modalidade de exercício foi considerada segura para pessoas com pressão de até 160 x 100.
Vale ressaltar que o exercício aeróbico traz maior diminuição da pressão do que o isométrico e proporciona também perda de peso, que pode ser importante para muitos hipertensos.